quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

SEGURANÇA ESCOLAR


SEGURANÇA PÚBLICA


domingo, 21 de fevereiro de 2016

SAUDADE

 

Criança de 7 anos é morta a facadas durante festa em colégio onde estudava

Corpo de Beatriz foi encontrado em um depósito de material esportivo desativado, com uma peixeira cravada no abdômen

Da Redação (redacao@correio24horas.com.br)
Atualizado em 11/12/2015 17:25:42
 
 
Criança de 7 anos é morta a facadas durante
 festa em colégio onde estudava 
(Foto: Reprodução)
A morte de uma criança de sete anos durante uma festa na escola onde estudava chocou os moradores de Petrolina, em Pernambuco.
O crime aconteceu na noite da quinta-feira (10). A menina morava com a família em uma chácara em Juazeiro, na divisa com Petrolina.
A menina Beatriz Angélica Mota foi ontem à noite para uma solenidade de formatura do Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora acompanhada dos pais, Lúcia Mota e Sandro Romildo.  
Beatriz desapareceu minutos após o pai, professor de inglês da instituição, sair de perto da família para participar da cerimônia de formatura. A mãe da menina percebeu o afastamento da filha e começou a procurá-la.
 "Já perto do final da festa, quando a banda tocava, o professor Sandro subiu ao palco, já bastante angustiado e começou a chamar pela filha dele, perguntando: 'Bia, minha filha, cadê você? Pessoal, alguém achou a minha filha?'", disse uma testemunha que estava na festa e preferiu permanecer anônima, em entrevista ao G1 Petrolina. O pai da menina teria retornado ao palco e chamado pela filha, avisando que já tinha procurado por ela em todos os lugares.
"Nesse momento, a festa parou, e todo mundo começou a deixar o centro da quadra. Foi quando o pessoal ouviu um barulho, muitos gritos. E as primeiras pessoas que entraram [num depósito de material] já saíram chorando e dizendo que tinham encontrado a menina morta", disse a testemunha.
O corpo de Beatriz foi encontrado em um depósito de material esportivo desativado, que fica ao lado de uma quadra de esportes onde acontecia a formatura. Ela foi esfaqueada diversas vezes no tórax, membros superiores e inferiores.
A faca usada no crime, uma peixeira, foi encontrada cravada no abdômen da criança. Em entrevista ao programa de rádio local Nossa Voz, a delegada Sara Machado, responsável pela investigação do caso, disse que testemunhas relataram a presença de uma pessoa desconhecida no local da festa.
"A gente tem informação dessa pessoa estranha, e estamos levantando informações acerca da identificação dela. Esperamos localizar essa pessoa em breve e esclarecer se ela teve algum envolvimento com a morte dessa criança", disse.
Segundo a delegada, apesar de ainda não ter um laudo definitivo do IML, não há nenhum indício que Beatriz tenha sofrido algum tipo de violência sexual. Entre as linhas de investigação da polícia está a de que o crime possa ter sido motivado por vingança contra a família da menina.
A delegada Sara também fez um apelo para que qualquer pessoa que tivesse informações sobre o caso entrasse em contato com a delegacia de Petrolina. "O crime, que infelizmente aconteceu de forma bárbara, chocou toda a população de Petrolina", disse ela.
Câmeras de segurança do colégio e de estabelecimentos próximos estão sendo analisadas pela polícia em busca de pistas sobre o suspeito do crime. Por estar em estado de choque após a morte da menina, a família de Beatriz ainda não foi ouvida pela polícia de Petrolina. 



quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

QUEM SE INTERESSA PELA SEGURANÇA ESCOLAR ?

Operação Volta às Aulas em 2016

Quais são os fatores que determinam a escolha de uma instituição de ensino para a educação de nossos filhos? São inúmeros fatores, dentre eles estão,  o projeto pedagógico, a formação e qualificação dos professores, a tradição, a qualidade das instalações físicas e de atividades complementares, a localização, preço das mensalidades  e com certeza a Segurança e Infraestrutura oferecida às pessoas que participam  do processo  educacional.
Devemos saber qual é o critério de contratação de professores e colaboradores, qual o número de alunos por sala, existe laboratório de informática, quadra e biblioteca, a cantina oferece alimentos saudáveis, a escola segue as  leis de acessibilidade, e como é feita a segurança patrimonial, do trabalho, das informações e segurança dos alunos ?
Não existe escola perfeita, mas neste início de semestre , quando visitamos diversos colégios em nossas grandes cidades devemos atentar para a estrutura proporcionada pela escola que garanta a segurança física e pessoal de nossos filhos, devemos inicialmente saber quem é o responsável pela segurança da escola e saber de sua formação e capacitação, existe um projeto de segurança, plano de segurança e análise de riscos? Os componentes da segurança escolar são treinados para as suas funções de segurança amigável? Como eles comunicam-se entre si, há rádio comunicação, celulares e Nextel ?  Os pais são fundamentais no processo de efetivação de um bom  modelo de segurança educacional, a fiscalização de todos determinará a diminuição de perigos e dos riscos envolvidos.
Ao chegar à Escola você deve verificar como é o sistema de controle de acesso e identificação e se a região onde a escola é localizada é violenta ou não. Muitas vezes os crimes e   delitos são diários e o trânsito trará riscos aos seus filhos, verifique a quantidade de bares e lanchonetes no entorno e a presença de ambulantes. Atualmente na cidade de São Paulo está em vigor a lei número 14.492  da Área Escolar de Segurança   que obriga a Prefeitura a realizar um conjunto de ações preventivas em parceria com a comunidade escolar, para melhorar a segurança das escolas . A Polícia Militar do Estado de São Paulo possui os Programas de Ronda Escolar e PROERD e a GCM tem patrulhamento eficiente para as escolas municipais. A segurança escolar é assunto importante que deve ser tratado com professores, pais,  alunos e especialistas em educação e segurança para que possamos reduzir o número de ocorrências, a violência e o crime em São Paulo e região.
Outro aspecto importante a verificar é o denominado escudo escolar, veja o estado dos portões da escola, se existem alarmes, verifique se há câmeras de vigilância e monitoramento nos locais adequados, e é muito importante verificar se os equipamentos de prevenção e combate a incêndios foram inspecionados pelos Bombeiros e se a prevenção de acidentes é uma cultura da escola, fale com o técnico de segurança da instituição. Muitos acidentes ocorrem na região de quadras, piscinas  e laboratórios de física e química e estes locais devem ter normas específicas de funcionamento.
Verifique como é contratado o Transporte Escolar, se está regularizado e se  a documentação dos condutores e do veículo estão em dia, alguns colégios de São Paulo possuem veículos rastreados por satélite e equipes especializadas neste serviço.
Creio que estes pequenos lembretes podem fazer com que seu início de semestre letivo seja mais tranquilo, pois nossa atenção e dos professores  deve estar voltada à melhor maneira de educar os filhos. A parceria com a escola  é uma aliança para que a educação escolar complemente a educação familiar.

Bom início de  semestre a todos, segurança é  a prioridade .

Autor Prof. Especialista Ulisses Nascimento – Consultor  de Segurança Educacional

SOMOS CONTRA OS TROTES ACADÊMICOS VIOLENTOS


SOMOS CONTRA OS TROTES ACADÊMICOS VIOLENTOS


ANUNCIE NA REVISTA SEGURANÇA ESCOLAR


AFOGAMENTOS


PROFESSORES MERECEM RESPEITO !


PAULO FREIRE


ESCOLA PÚBLICA


OPERAÇÃO VOLTA ÀS AULAS NO BRASIL


SOMOS CONTRA OS TROTES ACADÊMICOS VIOLENTOS


SOMOS CONTRA OS TROTES ACADÊMICOS VIOLENTOS


SOMOS CONTRA OS TROTES ACADÊMICOS VIOLENTOS


SOMOS CONTRA OS TROTES ACADÊMICOS VIOLENTOS


PROGRAMA FEDERAL DE COMBATE AO BULLYING


BULLYING NÃO É BRINCADEIRA !


STOP BULLYING


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

PROGRAMA DE COMBATE AO BULLYING

Lei que cria programa de combate ao bullying começa a valer esta semana


Clubes e agremiações recreativas em todo o país deverão desenvolver medidas de conscientização e prevenção



A partir desta semana, escolas, clubes e agremiações recreativas em todo o país deverão desenvolver medidas de conscientização, prevenção e combate ao bullying. A lei que institui o chamado Programa de Combate à Intimidação Sistemática foi sancionada em novembro passado e prevê a realização de campanhas educativas, além de orientação e assistência psicológica, social e jurídica às vítimas e aos agressores.
O texto estabelece que os objetivos propostos pelo programa poderão ser usados para fundamentar ações do Ministério da Educação, das secretarias estaduais e municipais de educação e também de outros órgãos aos quais a matéria diz respeito. Entre as ações previstas está a capacitação de docentes e equipes pedagógicas para a implementação das ações de discussão, prevenção, orientação e solução do problema.
Ainda de acordo com a legislação, a punição aos agressores, em casos de bullying, deve ser evitada, tanto quanto possível, “privilegiando mecanismos e instrumentos alternativos que promovam a efetiva responsabilização e a mudança de comportamento hostil”.
O texto caracteriza o bullying como todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo, que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.
A previsão é que sejam produzidos e publicados relatórios bimestrais das ocorrências de bullying nos estados e municípios para o planejamento das ações. Segundo a lei, os entes federados poderão firmar convênios e estabelecer parcerias para a implementação e a correta execução dos objetivos e diretrizes do programa.
 
Agência Brasil

DIA DO ZELADOR